VOLTAR
Petições com códigos de barras - Geral

Petições com códigos de barras

  Por  

A tecnologia a serviço da justiça.

Em recente notícia, o Tribunal de Justiça de São Paulo disponibilizou instruções para utilização do Código de Barras no protocolo de petições intermediárias.

"A ferramenta, implantada pela Corregedoria Geral da Justiça em todos os setores de protocolo do Estado, possibilita a substituição da digitação do número do processo – o que demanda algum tempo para cada petição – por um simples reconhecimento por meio de leitor ótico, que percorre rapidamente todas as barras, enviando informações ao computador, que converte o código novamente em número legível.

Os benefícios trazidos pela utilização do código de barras são a agilização na protocolização, com a consequente diminuição do tempo do advogado em balcão, e a segurança dos dados informados na petição, por evitar eventuais erros de digitação. Assim, quanto maior a quantidade de petições com o código de barras, mais rapidamente se realiza o protocolo, principalmente em datas e horários em que houver maior concentração de público."

Fonte: TJSP Notícias

Distribuição automática

"O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), desembargador anunciou a implantação de ferramenta de distribuição automática de processos do 1º grau de jurisdição. O novo sistema deve contribuir com a estruturação do cartório unificado. (...)

Com a ferramenta, o tempo do trâmite processual deverá ser menor, uma vez que o processo não precisará mais passar pelo setor de distribuição, ser cadastrado e distribuído. O próprio sistema fará a distribuição de maneira automática.

“A distribuição de forma automática prescinde da intervenção de qualquer funcionário do Poder Judiciário na distribuição de um processo. Então um advogado vai, do seu ponto remoto, do escritório ou de onde estiver, clicar para ajuizar uma ação, automaticamente o sistema vai dizer a ele qual a vara que esse processo foi distribuído”, destacou o desembargador Domingos Neto."

Fonte: CNJ Notícias

Das redes sociais à robotização da advocacia

Há tempos que as redes sociais já são utilizadas como ferramentas de network dos advogados. Tecnologias de gestão de processos, plataformas digitais de visibilidade e marketing já fazem parte da rotina de muitos escritórios no país.

Inspirados por grandes nomes no mundo jurídico norte americano, os escritórios tem investido cada vez mais em sistemas de gestão, TI e plataformas que garantam praticidade no trabalho. Atividades gerenciais e de pesquisa tem dado espaço a sistemas programados para substituírem de vez a atuação pessoal. Investimento em programadores e softwares especializados ganham cada vez mais prioridade frente a investimentos em Recursos Humanos.

A robotização da advocacia não esta longe de ser uma realidade. Softwares desenvolvidos para encontrarem a tese mais adequada ao caso concreto, como o Donotpay já mostra agilidade nos resultados ao utilizar a plataforma de interação direta com o cliente gerando imediatamente o recurso à infração de trânsito.

Plataformas que agilizam a pesquisa de jurisprudência, a disponibilização de notícias, novidades jurídicas ou modelos prontos também já são de conhecimento geral da categoria.

O conhecimento das mais diversas plataformas, apesar de passar longe das disciplinas acadêmicas, ganham cada vez mais espaço como disciplinas indispensáveis à competitividade no mercado.

Com isso fica a pergunta, que outras plataformas poderiam agilizar o trabalho do Advogado? Ou então, que ferramentas poderiam auxiliar a solucionar problemas da morosidade do judiciário?

Deixei seu comentário.

O objetivo é fomentarmos o tema e compartilharmos experiências.

Abraço da Equipe Modelo Inicial

  CADASTRE-SE GRÁTIS

Cadastre-se para receber conteúdos da área Geral e poder comentar esse artigo.

MODELOS RELACIONADOS